Friday, March 15, 2019

Desta vez foi um supremacista branco e não há silenciamento

Brenton Tarrant posted a video of himself
Hoje houve um chocante atentado numa mesquita na Nova Zelândia. O terrorista assassino matou 49 pessoas. Sabemos que é um homem nos seus 20s, branco, de nome Brenton Tarrant, defensor da supremacia branca, gosta do Trump e até temos direito a foto e muitas outras informações, algumas perturbantes, vêm surgindo sobre ele nos vários canais noticiosos que abrem sempre com esta notícia, à qual dão um imenso destaque. Ainda bem. É bom sabermos o que move as pessoas que assassinam devido a uma qualquer ideologia para podermos ter uma base de combate à mesma. Não é possível combater o terrorismo se escondermos os motivos, o denominarmos de "problemas mentais" e fingirmos que não existe. É também bom termos a liberdade de expressão para sabermos quem foi, por que o fez e falarmos abertamente dos perigos da supremacia branca. No Reino Unido até já estão a proteger as mesquitas...
Gostava que a mesma teoria fosse aplicada para qualquer outra supremacia (negra, islâmica, etc), pois todas as supremacias são perigosas e sempre que há um ataque terrorista levado a cabo por um seguidor da ideologia islâmica. Mas o que actualmente vemos é um total silenciamento dos meios de comunicação social. Nem o nome dos terroristas, sempre que soam a muçulmano, são divulgados. A nacionalidade só o é quando já estão naturalizados para dar a ideia de ter sido por outro qualquer motivo. 
Podemos falar abertamente e sem medo dos perigos da supremacia branca, não o podemos fazer relativamente a qualquer outra supremacia sob o risco de, na melhor das hipóteses, sermos chamados de racistas/xenófobos/islamofóbicos, na pior das hipóteses sermos mesmo acusados de "crime de ódio" e atirados para a cadeia... Esse desequilíbrio é, também ele, perigoso. Esse desequilíbrio também leva ao aumento do ódio aos muçulmanos (não lhe chamo islamofobia, porque esse termo parece-me errado - fobia é um medo irracional. Sendo o islamismo o maior responsável pelos ataques terroristas no mundo, não vejo nada de irracional em temê-lo. Já o ódio ao muçulmano, só por ser muçulmano, é absolutamente condenável).
Só corrigimos estes males no mundo quando pudermos falar abertamente de todos eles.

No comments:

Quanto vale uma vida?

A vida não é fácil, se fosse não lhe dávamos o valor devido. São os momentos difíceis que nos lembram que já estivemos melhor e nos fazem a...